• Sergio Benchimol

Córnea sintética, uma esperança para quem aguarda há anos a doação da versão humana.

Este ano, em Israel, tivemos um indício de que a cirurgia de córnea sintética – um avanço buscado há anos – pode estar perto de se tornar mais uma histórica conquista da medicina.


Como tudo na ciência, porém, não dá para festejar antecipadamente. É preciso mais tempo de testes para que seja eliminada qualquer possibilidade de rejeição ou outro problema. Ainda mais por se tratar de vida e gente.



Existe luz no fim da fila.


Se como representantes da saúde temos cuidado ao dizer isso, como seres humanos, estamos animados.


Especialmente porque conhecemos de perto a dor de quem espera por tanto tempo na fila da doação de córnea por uma oportunidade de enxergar.


Continue lendo para saber mais.



Conheça a história da inédita cirurgia.


O motivo do otimismo foi a realização da primeira cirurgia deste tipo bem sucedida do mundo, em janeiro passado.


Um israelense de 78 anos – e 100% cego há 10 – recuperou de forma rápida e relativamente simples a sua visão.


No dia seguinte ao procedimento, o idoso foi capaz de ler e reconhecer os rostos dos familiares. E o mais significativo: conhecer as feições do seu neto, nascido depois que ele adquiriu a deficiência.




Ainda em caráter experimental.


Depois do caso descrito acima, outros dez pacientes – também israelenses – têm a chance de passar pelo mesmo procedimento, ainda na fase experimental.


Além disso, regiões como Canadá, Estados Unidos, França e Holanda já estão com candidatos aprovados para se submeterem aos testes.


A intenção é que a novidade possa substituir as córneas que sofreram deformações, tornando-se opacas ou com cicatrizes, por conta de doenças degenerativas, como o Cerotocone, por exemplo.



Que empresa está por trás da inovação?


Chamado de KPro, a novidade foi desenvolvida por uma empresa israelense, a CorNeat Vision.


Antes dele, outras córneas sintéticas foram testadas, mas de forma bem mais complexa e, por isso, como último recurso, quando havia rejeição nos transplantes usuais.



Entenda o procedimento.


O KPro tem implantação relativamente simples. Os cortes são mínimos, assim como a sutura.


Além disso, segundo a CorNeat Vision, a intervenção estimula a proliferação de células, proporcionando uma integração espontânea e progressiva do tecido.


Trata-se do primeiro implante artificial com condições de ser incorporado naturalmente à parede ocular de um ser humano. Ele tem uma lente desenvolvida para se amoldar perfeitamente sob a conjuntiva, usando nanofibra não degradável e sintética.



Enquanto isso...


Enquanto os testes não se confirmam e a empresa não define uma data para a produção em grande escala, seguimos com as recomendações de sempre.


Incentivando as doações de córneas naturais. E as consultas regulares aos oftalmologistas.


Independentemente de qualquer outro avanço nas soluções médicas, lembramos que a prevenção é o melhor remédio.


0 visualização0 comentário